Dia Internacional da Amizade: afinal, mulheres podem ser amigas?

Camaçarienses desconstroem o mito de que as mulheres são todas inimigas umas das outras

por

“Mulher é tudo invejosa”,

“Mulher trabalhando junta não presta”,

“Não dá pra confiar em mulher”,

“Mulher não é amiga de verdade”,

“Mulher é tudo recalcada”,

“Beijo no ombro para as invejosas de plantão”…

É por essas e outras que corre por aí a lenda de que não existe amizade sincera entre mulheres, uma vez que, ao que parece, elas já nascem competindo umas com as outras. Para uns, isso é coisa imposta por elas mesmas, para outros, é reflexo de uma sociedade machista que luta por macular a amizade feminina a fim de enfraquecer o sexo oposto e permanecer no poder, e há quem pense que tudo isso é bobagem e que nada disso existe. Mas, será?

salma
Salma Reis

De acordo com a psicóloga e terapeuta, Salma Reis, muitas frases prontas, sobre os mais diversos assuntos, são enraizadas no subconsciente dos seres humanos, transformando-se em crenças limitantes, ou seja, informações capazes de direcionar atos e pensamentos. “O peso da amizade entre mulheres é mais uma vítima da insegurança e medo de sermos nós mesmos. Passamos tanto tempo ouvindo o que temos que fazer e como temos que ser que esquecemos de nossa essência”, afirma. Salma reforça que frases como as do início do texto são exemplos de crenças limitantes que controlam os sentimentos, muitas vezes até, de forma inconsciente, mas, existem muitas técnicas que possibilitam a desconstrução desses mitos, evitando, assim, que a vida seja limitada. “É preciso apostar mais no amor verdadeiro, é preciso ter coragem para não colocar no outro a responsabilidade pelas nossas inseguranças, é preciso olhar para dentro! Assim, todas as formas de amor e de carinho podem ser reveladas”, aconselha.

E é por isso que o grupo das “Porocas” faz questão de provar que amizade verdadeira entre mulheres existe sim!. O sexteto composto pelas inseparáveis “mais que amigas, quase irmãs”, Paloma, Lidi, Tati, Isa, Jacqueline e Leila, se consolidou durante uma excursão e, de lá para cá, segue vivendo grandes aventuras. “Passamos por muita coisas juntas: aniversários, formaturas, casamentos, nascimentos, divórcio, perda de entes queridos… Sempre nos apoiamos umas nas outras para tudo”, garante Paloma. E toda essa cumplicidade, amor, lealdade e respeito não fica apenas na teoria não, tem sempre um almoço na casa de uma ou de outra, encontros e passeios para celebrar a amizade que já dura mais de uma década. “Nossas famílias já nos adotaram, até os maridos/namorados viraram cunhados e sabem que o dia do encontro das Porocas é sagrado!”, revela Lidi. E as histórias que esse grupo coleciona não são poucas, tanto que poderiam até escrever um livro contando as grandes aventuras que já viveram, como o dia em que burlaram a segurança da maternidade só para fazer a “foto da família” com o bebê recém chegado de uma, ou o chá de carro novo (o Azul Perfeito) da outra. E assim, dessa maneira desprendida, natural e verdadeira, elas seguem dando o exemplo de que mulheres podem ser amigas, sim, e que assim como a Pororoca, que é o encontro do rio com o mar, as Porocas vivem um lindo encontro da amizade com a felicidade.

Porocas
As Porocas: Leila, Lidi, Jacque, Tati, Paloma e Isa

Bom também é quando a amizade se forma lá na infância e não se enfraquece com o passar do tempo. É o caso das grandes amigas Cenielle Costa e Bianca Portela, que se conheceram ainda no primário e seguem grudadinhas até hoje. Facilmente, onde uma está, a outra se encontra. Unidas também pela dança, paixão que têm em comum, elas até já trabalharam juntas e garantem que nunca tiveram problemas com isso. “Não existe essa história de competição. O sucesso de uma é motivo de alegria e orgulho para a outra”, garante Cenielle. Entre elas, os segredos são guardados a sete chaves, e apesar de terem muitos amigos do sexo masculino, e até acreditarem que em alguns casos é mais fácil lidar com homens do que com mulheres, elas garantem que não abrem mão dessa amizade por nada. “São muitos anos de amizade e sei que nela posso confiar. Às vezes, ela “leva” um pouco do meu juízo, em outras eu coloco “freios” nela. Estar com ela é bom demais, tudo tem mais graça, é mais feliz, mais divertido. A gente se completa”, afirma.

Bianca e Cenielle

Com esses lindos exemplos de que existe sim, amizade verdadeira entre mulheres, fica fácil rasgar em mil pedacinhos todos os conceitos contrários não é mesmo? Então, que tal aproveitar que diversos lugares do mundo inteiro celebram hoje, 20/07,  o Dia Internacional da Amizade e mandar um recado para aquela amiga do peito? #ficadica 😉

cmulhermenor

Esse texto foi escrito por Elba Coelho. Se gostou, diga: tá legal, tá bacana. Se não gostou, diga: melhore, Elba!

E-mail: elbacoelho@camacarimulher.com.br

Comentários

comments

Leia Também