Especial Dia dos Pais: meu pai, meu HERÓI!

Para as crianças, a figura paterna acaba sendo a representatividade do herói da vida real

por

No mundo lúdico dos desenhos animados, a figura do herói representa seres capazes de executar ações excepcionais. Cheios de coragem e bravura, e dotados de poderes especiais, eles têm o dever de salvar a humanidade, derrotando todos os tipos de inimigos e perigos. Para as crianças, a figura paterna acaba sendo a representatividade do herói da vida real. Cada filho busca no pai uma característica de seu super-herói preferido. Nesse contexto, os pais acabam desenvolvendo verdadeiros super poderes que vão desde a capacidade de aliviar as dores de um machucado até o acalento de corações angustiados. E esta referência, gerada na infância, adentra pela vida adulta transformando esses pais-heróis em sinônimos de refúgio, sabedoria, força e proteção, influenciando, diretamente, na determinação dos adultos em que se transformarão.

Camaçari-mulher-amanda-herói“Ele é o meu herói!”. Este é o sentimento que preenche o coração da jovem estudante,  Amanda Silveira, de 17 anos, quando olha para o pai, Epifanio Vilas Boas. Essa relação de admiração, amor e cuidado, faz com que Amanda seja incapaz de imaginar a vida sem a presença de seu fiel protetor. “Somos muito parecidos. De temperamento extremamente forte, não aceitamos injustiças e gostamos das coisas corretas. Vejo o meu pai como o verdadeiro protetor da nossa família. Há alguns anos, minha irmã caçula teve uma crise horrível de convulsão, cheguei a pensar que iríamos perdê-la, estávamos desesperados e, mesmo aflito com a situação, meu pai usou uma técnica que aprendeu em um curso de primeiros socorros e, graças a Deus, conseguiu salvá-la. Naquele momento, eu tive noção do tamanho do amor que ele sente por nós e não tive dúvidas, ele é o maior e melhor herói do mundo”, relata.

11864842_766640466778882_2951075273210475477_oFã assumida e declaradamente apaixonada pelo pai, o aposentado Ranulfo Coelho, de 69 anos, a  analista financeira, Silvia Coelho, de 34 anos, não poupa elogios a essa figura insubstituível em sua vida. “Ele é minha referência de ser humano exemplar. Além de batalhador, meu pai sempre foi presente na vida de todos os filhos e, também, na de minha mãe. Além de humilde, ele tem um coração imenso e muito mole, principalmente com os netos e filhos. Acredito que essa capacidade, de ser tão querido por todos, é proveniente do jeito incrível de cativar as pessoas, e isso se fortalece ainda mais, através de toda boa intenção que ele coloca em suas atitudes. Passar uma semana sem vê-lo, é para mim, um martírio. Quando morei em um bairro mais distante por três anos, todo final de semana “era de lei” estar com ele. Mas, graças a Deus, hoje somos vizinhos e nos vemos todos os dias”, conta.

Especialdiasdospais-thais-livia-amanda-camaçari-mulher (1)Guerreiro. Este é o sinônimo ideal para Divaldo Magalhães, ou simplesmente Val, de 49 anos. Para a estudante Thaís Magalhães, de 15 anos, filha caçula de Val, ele é o exemplo fiel de força de vontade e determinação, características marcantes que auxiliam diretamente na construção dos seus princípios e  personalidade. “Não consigo imaginar meu pai fraquejando. A maneira como ele lida com os obstáculos da vida me faz pensar que ele sempre tem uma solução pra tudo, e isso me deixa muito tranqüila.  Além de companheiro, meu pai tem um carisma muito grande, é quase impossível alguém não gostar dele de cara. Divertido, parceiro, alegre, brincalhão, prestativo e sempre presente, são motivos que me fazem pensar que tenho muita sorte em tê-lo na minha vida. Poder vê-lo todos os dias em casa é gratificante. Não imagino a minha vida sem ele, que está comigo o tempo todo. Ele é o meu herói, meu amigo, meu tudo!”, conta a estudante com um largo sorriso no rosto.

Relatos como esses só reforçam o tamanho da importância da figura paterna na criação dos filhos. Poder ver no pai um herói de carne e osso ( com direito a falhas e tudo o mais) é tornar mais sólida a base familiar, é construir caminhos e pontes que, certamente, conduzirão crianças à formação de adultos melhores e, consequentemente, o mundo em um lugar melhor para se viver.

cmulhermenor

Esse texto foi escrito por Joice Santos. Se gostou, diga: tá legal, tá bacana e compartilhe com seus amigos. Se não gostou, diga: melhore, Joice! mas não deixe de compartilhar com seu amigos 😉

E-mail: joicesantos@camacarimulher.com.br

Comentários

comments

Leia Também