Minha vida, meu estilo. O que isso significa?

Estilo vem de dentro para fora e representa toda a beleza que a diversidade humana deve ter

por

Moda, Modismo, Tendência e Estilo, você sabe a diferença? Apesar de pertencerem ao mesmo setor, e serem facilmente confundidas, cada palavrinha dessa tem um significado diferente.

Moda se refere a algo que tenha marcado época, desde um tipo de roupa a um modelo de carro, por exemplo. Modismo, se refere àquilo que cai no gosto popular de maneira temporária, como as cores do esmalte, o colar ou o corte de cabelo daquela personagem que está “bombando” na novela. Tendência é algo que pode (ou não) virar moda, sem marcar época, levando sempre em consideração o comportamento de cada pessoa e o hábito, nato do ser humano, de inspirar-se em alguém para se vestir, podendo até se tornar apenas um modismo. Estilo, é exatamente o contrário de todo o resto, pois vai muito além. Tem a ver com personalidade, com a alma de cada um. Não se refere a imposições sociais, vem de dentro para fora e representa toda a beleza que a diversidade humana deve ter, elevando suas principais características, ou seja, revela se você é tradicional/clássica, contemporânea/elegante, natural/básica, criativa, romântica, sexy, moderna ou dramática.

17022015b

A pessoa que prefere se vestir de acordo com o seu próprio estilo, dificilmente se apegará ao que está no auge, nem ao que a novela está ditando, muito menos ao que está na moda. Pelo contrário, ela pode até ter adotado a saia godê, lá em mil novecentos e bolinha e a partir de então, tê-la decretado como sua peça favorita. Mas, alto lá! Ter estilo não é pegar qualquer coisa e jogar no corpo, ou pegar tudo o que tem no armário e desfilar feito uma árvore de Natal ambulante por aí. Muita calma nessa hora! Defender/assumir seu estilo é uma atitude cheia de propósito e razão, afinal a moda passa, mas o estilo não.

Antes de tudo, é preciso entender que mesmo as melhores grifes podem não cair bem em todo mundo, por isso, ter estilo é fundamental, sentir-se confortável consigo (por dentro e por fora), respeitar as formas do seu corpo e, de acordo com sua personalidade, vestir-se de si mesma, exteriorizar quem você realmente é. E não se surpreenda se, de repente, assim como quem nada quer, você marcar época na sua cidade, ser “copiada” por aí ou, simplesmente, inspirar outras pessoas a se vestirem iguais a você.

FotorCreated
Mesmo as melhores grifes, podem não cair bem em todo mundo…

Fazendo jus à premissa de que estilo é como uma marca registrada, que adquire estabilidade através dos anos e vem de dentro para fora, combinando personalidade com o visual, a professora de dança, Ana Paula Souza, 37 anos, mais conhecida como “Paulinha com amor”, é daquelas que imprimem a personalidade em todas as peças que fazem parte de seu guarda-roupas. Ela faz sua própria moda e garante que seu estilo tem a ver com liberdade. Uma liberdade que provoca, marca, e determina o quanto ela é feliz em ser ela mesma. No dia a dia, como trabalha com crianças e jovens, Paulinha não dispensa as peças confortáveis, como calças, bermudas e vestidos, seguindo uma linha mais esportiva, mas sempre incrementa o visual com alguma peça ou adereço que chame a atenção. “Gosto quando meus alunos comentam sobre minhas roupas e faço questão de lhes dizer que aquele look foi montado por mim. E é uma maneira de saberem também como está o meu humor naquele dia. Jogo tudo em cima da cama, vou montando uma peça com a outra e se me fizer sentir bem, eu visto. Pode até parecer meio louco, mas sou eu ali”, conta. Entre suas preferidas estão as estampas coloridas, listras e o branquinho básico de cada dia, e mesmo agora, vivendo a doce fase da gestação, a professora não descuida do visual e não abre mão de seguir o seu estilo. “Apesar de muita coisa já não caber mais em mim, sempre consigo me arrumar do meu jeitinho”, acrescenta.

Paulinha imprime sua personalidade em todas as peças que veste

Ter estilo é valorizar suas qualidades e associá-las à sua forma de vestir-se no dia a dia. É olhar-se no espelho e enxergar além dos tecidos. É ter uma alma confortável perambulando por aí. É ser fiel a si mesma, assumir seu jeito de ser, seja você monocromática ou multicolorida, tímida ou extrovertida, suave ou intensa. É deixar sua marca, seu charme, por onde passa. É, acima de tudo, saber que o mais importante é sentir-se bem, é ser você!

pequeno

Esse texto foi escrito por Elba Coelho. Se gostou, diga: tá legal, tá bacana. Se não gostou, diga: melhore, Elba!

E-mail: elbacoelho@camacarimulher.com.br

Comentários

comments

Leia Também