Mulheres delicadas não falam palavrão

Nossa geração tem que assumir o compromisso de criar meninos e meninas com igualdade

por

13782242_1251999324863324_8824602018649405786_n (1)Eu ia começar esse texto com uma palavra bem feia. Não chega a ser uma coisa feia, feia, muito feia, como “o nome da pelada”, mas eu ia iniciar com aquela palavrinha que começa com P e termina com A (olhe, olhe..) e que quase todo mundo fala porque ela está tão presente em nosso cotidiano que a gente até esquece que é um palavrão. Se ligou? Mas eu não vou escrevê-la porque sou uma mulher delicada e mulheres delicadas não falam palavrão.

Mentira 😀

Quando eu engravidei (de novo, Magnólia? Não tem outro assunto não?! :D) e ainda não sabia o sexo do bebê, algumas boas pessoas diziam que eu tinha que ser mãe de um menino. Mas porquê? Porque sou meio desastrada? Porque não penteio direito os cabelos e, consequentemente, não pentearia da minha filha? Nãããão! Porque eu falo palavrão, minha gente! Porque eu falo de sexo como falo de comida, de livros, de filmes e séries. Porque eu acho que mulher não nasceu só pra casar. Nem pra ter filhos. Mulher nasceu para o que ela quiser e ponto final. Quer casar? Case! Quer ter filhos: tenha. Não quer? Maravilha! Quer ser forever alone? Seja! Quer viajar o mundo inteiro? Viaje. Quer dar pro mundo inteiro? Use camisinha e seja feliz!

Não sou mãe de uma menina, mas o meu menino vai crescer sabendo que deve respeitar todas elas. As que falam palavrão, as que não falam, as que estão solteiras na balada, as que amam e casam e vivem e têm filhos com outras meninas. Enfim: vai crescer respeitando a liberdade que todas as pessoas têm de serem o que elas quiserem.

Acho que nossa geração tem que assumir esse compromisso de criar meninos e meninas com igualdade. Já deu de tanto machismo, tanto preconceito, tanta bobagem, né?! É aquela coisa que Gandhi disse lá atrás: devemos ser a mudança que nós queremos ver no mundo.

É isso! Beijos e até a próxima 😉

Esse texto foi escrito por Claudia Magnólia. Se gostou, diga: tá legal, tá bacana. Se não gostou, diga: melhore, Magnólia! Mas não deixe de expressar a sua opinião 😉

E-mail: claudiamagnolia@camacarimulher.com.br

Comentários

comments

Leia Também