Sociedade entre amigas: será que esse negócio dá certo?

Entrevistadas garantem que amizade só facilitou a realização de seus sonhos

por

Ser seu próprio patrão, montar sua rotina de trabalho, ter mais tempo para a família, não precisar bater cartão… estas são algumas das muitas expectativas que permeiam os sonhos de quem almeja montar o próprio negócio. E quando se trata de uma sociedade entre amigas? Será que o velho ditado “amigos, amigos, negócios à parte” prevalece? De acordo com as nossas entrevistadas, ele nunca esteve tão fora de moda, pois elas garantem que o fato de serem amigas só facilitou a realização de seus sonhos.

As jornalistas Marlene Ferreira e Fabiana Monte, que se conheceram no ônibus que as levava para a faculdade, contam como decidiram se unir para montar um negócio. “Fazíamos o mesmo curso, porém em turmas diferentes, e fomos nos aproximando. Aos poucos, surgiram as afinidades e nos tornamos amigas”, conta Fabiana. A especialista em Comunicação Corporativa, revela que a ideia de montar uma empresa de comunicação nasceu na sua equipe do trabalho de conclusão de curso, e decidiu convidar a nova amiga para integrar o grupo que transformaria o sonho em realidade. “Acabou que as outras participantes desistiram de seguir conosco e juntas resolvemos montar a empresa”, completa.

A parceria deu super certo e elas comandam, desde 2007, a Standape Comunicação Corporativa, empresa responsável pela publicação da Revista Nossa Metrópole, que possui distribuição gratuita em Camaçari, Dias D’Ávila e Mata de São João. É claro que, como em toda relação, existem divergências de opinião, mas as empresárias garantem que sinceridade, sabedoria, razão, equilíbrio e justiça, são a base de todas as decisões que precisam administrar. “Muito mais que amigas, somos irmãs de alma. Confiamos uma na outra e no momento de separar o coração da razão focamos no que é justo. Esse tem sido o segredo de nossa convivência”, finaliza Fabiana.

Fabiana Monte e Marlene Ferreira
Confiança norteia sociedade de sucesso entre Fabiana Monte e Marlene Ferreira.

Já para as irmãs Aquino, o fato de se conhecerem desde sempre e terem uma grande relação de amizade, foi fator determinante para a união em busca do mesmo sonho. Assim que se formaram, Amanda e Bárbara decidiram estudar para concurso, porém, o sonho de abrirem um negócio juntas falou mais alto, e há quatro meses elas gerenciam a Empada Brasil em um shopping de Camaçari.

A dupla garante que os laços de família não interferem na tomada de decisões, “Conseguimos separar, tranquilamente. Nessa hora, o profissionalismo tem que falar mais alto”, revela Amanda. A flexibilidade de horários, o fato de não ter um chefe e a autonomia, são os principais pontos positivos que as motivam a prosseguir. “O momento de crise que o nosso país enfrenta nos deixa apreensivas quanto a incerteza financeira e instabilidade do mercado. Mas a realização profissional que estamos vivendo e a certeza de que temos uma a outra, nos encoraja a prosseguir”, conclui Amanda.

Barbara e Amanda Aquino-3
Irmãs Aquino celebram a realização profissional.

Diante destes exemplos, quem está pensando em abrir um negócio deve levar em consideração que o fato de as pessoas já se conhecerem e compreenderem o temperamento uma da outra e, principalmente, cultivarem uma relação de confiança, só conspira a favor da abertura de uma sociedade entre amigas. Portanto, a dica é olhar bem ao redor, pois a semente para um futuro negócio pode estar sendo plantada na escola, na faculdade, no atual local de trabalho e até mesmo na família!

Esse texto foi escrito por Elba Coelho. Se gostou, diga: tá legal, tá bacana. Se não gostou, diga: melhore, Elba! E-mail: elbacoelho@camacarimulher.com.br

Comentários

comments

Leia Também