Fofoca no trabalho: personalidade ou influência?

O costume é desastroso para a imagem pessoal e destruidor para a carreira profissional

por

O carro novo do colega. A promoção da supervisora. O corte de cabelo do gerente. Pessoais ou profissionais, pouco importa: o que não faltam são motivos para que se inicie um hábito ruim e muito prejudicial, principalmente no ambiente corporativo: a fofoca. Os objetivos variam e vão desde uma simples mania de compartilhar uma informação sem intenção de prejudicar, até provocar intrigas e desentendimentos. O fato é que a fofoca pode ser um costume desastroso para a imagem pessoal e destruidor para a carreira profissional.

Características como a necessidade de ser aceito, a incapacidade de mostrar seu potencial, a baixa autoestima, a falta de confiança e até mesmo o desejo de prejudicar o próximo para se auto-promover, são as mais comuns dos “fofoqueiros”, que não poupam munição para se dar bem.

Fofocas-mulheres-camaçari-trabalho (2)

Separamos alguns estilos de fofocas mais comuns no ambiente corporativo:

Fofoca despretensiosa: “Você não faz ideia de como queria te poupar, mas acho que você deveria saber…”

Fofoca inocente: “Você não tem noção da injustiça que estão fazendo com o pobre do jardineiro ”

Fofoca do Achismo: “Eu acho que a merendeira está levando comida pra casa!”

Fofoca Venenosa: ”Você sabia que a menina do departamento pessoal está saindo com o motorista do diretor?”

Fofoca Nazaré Tedesco: “Vou falar tudo que sei sobre ela, quero só ver a máscara daquela Pitbull fêmea cair”

Fofoca rasteira: “Será que o chefe não percebe que ele não é capacitado para o cargo?”

Fofocas-mulheres-camaçari-trabalho (4)Para a pedagoga Nívea Corbacho, de 38 anos, a fofoca é algo inerente ao ser humano, ou seja, vai muito além de uma simples mania, é algo relacionado a personalidade e, sendo assim, é quase impossível eliminá-la. “O boato no ambiente organizacional é um dos problemas mais comuns e, ao mesmo tempo, um dos mais difíceis para se resolver pois trata-se do relacionamento entre funcionários, que se não for tratado de imediato, pode trazer complicadas consequências como a contaminação dos demais membros e até mesmo a diminuição da confiança”, afirma. Para Nívea, a melhor maneira de evitar a fofoca é colocar foco nos resultados da Organização, além de não alimentar ou incentivar conversa improdutiva.
Fofocas-mulheres-camaçari-trabalho (3)“Existem indivíduos que além de “fofocar” ainda conseguem influenciar outras pessoas, ou seja, um infeliz comentário, pode se transformar em vírus, que por sua vez vai sendo transmitido à medida que cada um deposita um grau de importância”, afirma a analista Maiara Bacelar, de 27 anos. Para Maiara, a tentativa de chamar atenção de qualquer forma, seja para ser notado ou até mesmo para manter a amizade com o chefe, é uma atitude muito presente em algumas corporações; são os famosos puxa-sacos. Pessoas assim, não têm limites em relação às suas ações e são identificadas com facilidade dentro da empresa, isso porque, normalmente, elas vivem isoladas, por serem trapaceiras, invejosas, chatas, antipáticas e incontroláveis, ou seja, não conseguem se relacionar de maneira sadia com seus colegas de trabalho.

Um bom relacionamento entre funcionários, resulta em bons resultados para a empresa, então, que tal praticar a fofoca reversa? Fale bem, transmita a cordialidade, seja agradável, e ajude a tornar o dia de alguém mais feliz.

cmulhermenor

Esse texto foi escrito por Joice Santos. Se gostou, diga: tá legal, tá bacana e compartilhe com seus amigos. Se não gostou, diga: melhore, Joice! mas não deixe de compartilhar com seu amigos 😉

E-mail: joicesantos@camacarimulher.com.br

Comentários

comments

Leia Também