Viver no Presente: Amor x Medo 

Os medos que adquirimos ao longo da vida distorcem a noção clara do que é amor

por

 

IMG-20160628-WA0025O medo aprisiona, O AMOR LIBERTA! Liberta tanto que ao sentir amor, uma onda de energia positiva penetra profundamente em todo o nosso ser e, consequentemente, se distribui por tudo ao nosso redor.  Experienciar o amor verdadeiro traz contentamento, alegria, paz interior, traz esperança…

Mas porque então entender o que é medo, torna mais compreensível como está o nível de amor?

Por que o oposto do amor, não é o ódio e sim o medo. O ódio pode ser apenas uma consequência do medo de não ser amado, de não ser aceito.

Olhando mentalmente pra sua vida, suas memórias, sua casa, cidade, trabalho, relacionamentos, você acha que está cercado de amor ou de medo? De que forma você contribui para o resultado disso?

O principal medo, é o que temos de nós mesmos. Medo de nos conhecer, de assumir nossas dificuldades, de buscar ajuda, medo de mudar. Por isso muitas vezes fechamos os olhos para o que não queremos enxergar, sem perceber, projetamos nos outros nossas maiores dores, pois ao criticar tanto, o sistema, o vizinho, o chefe… nos denunciamos em fragilidade, pois é mais fácil ver defeito no outro do que na gente mesmo. Ao mesmo tempo, temos uma necessidade tão grande de sermos bem vistos em algumas situações que recusamos as nossas próprias escolhas para atender à necessidade de alguém ou da sociedade. Confuso, não? Pois é. É exatamente isso que o medo faz: confusão.

Falamos muito de amor, e esse sentimento vem de nossa essência, mas os medos que adquirimos ao longo da vida distorcem a noção clara do que é amor. Quantas vezes você sentiu que o seu amor está incluído em frases como essas: “para provar que me ama, tem que fazer o que eu gosto”,”amo tanto fulano que tenho medo de perder”, “sei o que é melhor para o meu filho, mas tenho medo do que as pessoas vão achar da minha criação”, “amo tanto aquela roupa nova que só vou usar em uma ocasião especial para não ficar velha”, “me amo tanto, mas tenho medo de ser feliz e do que vão pensar”… Enfim, é isso que entendemos por amor? Parece que criamos prisões para nosso amor, por medo!

E de onde vem esse sentimento tão limitante e incômodo? Ele vem inserido em tantos contextos, está presente até quando falamos de amor… Sem perceber atraímos o que pensamos e sentimos, assim ficamos presos em um ciclo em que a liberdade parece não existir. Amor, definitivamente, não combina com medo.

Mas afinal onde está o amor que liberta? Aquele amor que nos faz sentir seguros e confiantes?

Tenha certeza, ele está dentro de você! Está nos atos simples, no sorriso, no olhar sincero, na gratidão, no perdão, no cuidado!

O amor está no presente!  Nas suas escolhas a partir de agora.

Quanto às dores?! Olha pra elas com carinho, se permita curá-las. Ainda que você tenha passado por situações difíceis e traumáticas, há sempre um jeito de transmutar essas memórias que, consciente ou inconscientemente, insistem em incomodar. De um jeito ou de outro estamos aqui pra evoluir, crescer e nos transformar.

Acredita, você pode criar a sua realidade. Não aceita pouco da vida, você merece muito! E nunca se esqueça: somos perfeitamente imperfeitos…

Muito amor em sua vida.

Um beijo em seu coração.

Até o próximo artigo

Esse texto foi escrito por Salma Reis, colunista do Camaçari Mulher. Para ler mais textos dessa psicóloga e psicoterapeuta que acredita que o sucesso de um trabalho se faz quando existe confiança, ética e compromisso, clique naquele nome dela ali em cima 😉

Comentários

comments

Leia Também