Você está preparada para perder sua mãe?

por

Cheirosa, que diabo de tema de artigo é esse nas vésperas do dia das mães? Tá maluca, é? (nessa hora, todas se benzem, batem na madeira, soltam “Deus é mais”, “Tá repreendido”, suspiram fundo e dizem: “Mainha não!”).

 

Pois, caras amigas, trago péssimas notícias: Nossas mães vão morrer! E, seguindo a ordem natural das coisas, antes de nós.

 

[Pausa dramática]

 

Ficha devidamente caída, a pergunta é: O que temos feito com o tempo que nos resta com o grande amor das nossas vidas? Estamos dando a atenção que elas merecem? E paciência? Estamos tendo?

 

Minha gente, eu to dramática hoje, mas é que tem batido um certo desespero com tudo quem vem acontecendo no mundo e cada vez mais perto de nós. Aquela sensação de imortalidade que todo mundo tem, tá cada vez menos presente. Aí vem essa necessidade de dar valor ao que realmente importa. E se tem uma coisa nessa vida que importa, é a mãe da gente.

 

A minha, por exemplo, é chata. Ela conta a mesma história cinco vezes e ai de você se não prestar atenção nas cinco. Ela faz restrição alimentar por conta da saúde, mas vá dizer pra ela não colocar um caldeirão de comida no fogo. Resmungona, faz birra, teimosa, mas é o melhor ser humano que Deus criou, a melhor amiga que se pode ter, companheira, caridosa, prestativa, íntegra, honesta, trabalhadora, amorosa e tudo de lindo que alguém pode ser.

 

[Pausa para limpar a baba]

 

 

Faz algum tempo que tenho evitado brigar, discordar, faço as vontades, não questiono, porque chega uma hora que a gente precisa mesmo é colecionar bons momentos, dar orgulho, fazer fotos lindas, dignas de quadro, viajar, sentar juntos à mesa, comer o que gosta, rir muito e de tudo, fazer um acerto de memórias tão maravilhoso que quando a ausência e a saudade chegarem, os bons momentos sejam um bálsamo para continuar levando a vida.

Eu fico sinceramente comovida com a dor de quem não tem mais a mãe por perto, principalmente nessa época do ano. É a dor da saudade ou por não ter tido tempo de dizer/fazer tudo que precisava, é o abraço não dado, o “eu te amo” não dito, ou só a dor da falta mesmo. Por alguns poucos segundos tento me colocar no lugar delas e é uma coisa tão desesperadora, que corro pra fugir desse pensamento.

 

Então, people, se sua mãe tá aí, juntinho ou longe, aproveite. Uma hora não vai estar mais e esse cheirinho gostoso que elas têm precisa estar beeeem guardado na memória olfativa. Esse cheiro de café, a comida, a voz, o jeito de cuidar, as implicâncias, o colo, tudo vai fazer falta.

 

Um feliz dia das mães para todas nós! Aproveitem suas mães enquanto as têm!. Pra quem não tem, desejo que sonhem com elas, um lindo sonho e, ao acordar, o cheirinho dela ainda esteja pelo quarto <3

 

Esse texto foi escrito por Angela Cheirosa, colunista do Camaçari Mulher. Para ler mais textos desta mulher negra, professora, mãe, bailarina ( e todas aquelas outras coisas que precisamos ser todos os dias), clique no nome dela ali em cima e delicie-se 😉

Comentários

comments

Leia Também