Destaque

Camaçariense ensina 8 dicas para viajar gastando pouco

Viajar é tudo de bom, mas viajar gastando pouco é melhor ainda. Isso sem falar na oportunidade de fazer novos amigos, conhecer e compartilhar novas culturas, estilos e idiomas que, vamos combinar, é uma experiências pra lá de incrível! Pensando assim, muitas pessoas mergulham de cabeça quando o assunto é fazer as malas e partir para mais um destino.

Mas, quando aquele destino tão sonhado não cabe no bolso, o que fazer? Para ajudar nessa questão, fomos bater um papo com a jornalista Milane Magalhães, de 27 anos. Apaixonada pelas estradas e mochileira assumida, Milane conta que a palavra de ordem é, planejamento. Ela listou algumas dicas para poupar em suas viagens, confere aí:

Qual é o segredo para viajar gastando pouco?

É fundamental colocar tudo na ponta do lápis, como: passagens, hospedagem, alimentação, presentes, locomoção, passeios, e uma verba “pré-viagem”, que é aquela que a gente economiza para comprar roupas, sapatos e acessórios antes de viajar. Um dica valiosa é acrescentar um seguro saúde na passagem, principalmente se seu destino for internacional, isso evita muito sofrimento e desconforto e você estará coberta, caso alguma adversidade aconteça.

Em que momento é necessário começar a economizar?

Depende muito do destino. Isso por que no Brasil dá pra viajar de carro, ônibus, trem e encontrar passagens baratas próximas da data de embarque, então fica fácil montar o roteiro na mesma hora. Já para destinos internacionais, é recomendável um planejamento de, no mínimo, seis meses, para um rota simples, agora se você pretende dar a volta ao mundo, é necessário se planejar com um ano de antecedência ou até mais.

Qual o melhor momento para comprar as passagens?

Comprar passagem com antecedência é fundamental e precisa ser a primeira coisa a entrar no orçamento, além de ter a possibilidade de dividir em parcelas que cabem no bolso, ainda é possível conseguir um bom desconto.

Sexta, sábado e domingo de madrugada são os melhores dias para comprar as passagens pela internet.

Se você optar por comprar a passagem pela internet, abrir sua pesquisa em uma “Janela anônima” do seu navegador é uma boa dica, isso impede que o computador armazene informações e te mostre sempre os mesmos valores de passagens.

Fazer cadastro em aplicativos e sites que te mandam alerta do valor pretendido pela passagem é uma ótima ideia. Desse jeito você será acionada e evitará pagar mais por aquela mesma passagem.

É mais vantajoso comprar passagens na própria companhia aérea, por exemplo, TAM, Gol, Avianca, Azul… pois os sites de busca costumam cobrar taxas extras.

Qual a sensação de viajar como mochileira?

“Mochilar” não significa viajar apenas com uma mochila, mas sim ter em mente que não dispõe de tantos recursos e precisa se adequar aos ambientes. Acredito que “mochilando” conseguimos aproveitar mais a essência do lugar, fazer mais amizades, ficamos mais abertos para oportunidades e menos bloqueados para as novidades. Sem falar que somos mais livres para mudar de rota ou acrescentar mais um novo destino à viagem.

Um boa preparação física também faz toda diferença, afinal de contas, mochileiro que é mochileiro caminha muuuuuuuuuuito, e em muitos países pode se deparar com temperaturas extremamente diferentes e mais agressivas do que seu país de origem. Para isso, é importante começar a ingerir vitamina C, se alimentar bem, beber bastante água, sem falar nos exercícios físicos, antes de partir, ok?.

O que pesquisar antes de seguir no destino?

Existe um site chamado “Quanto custa viajar”, ele é ótimo, pois te fala detalhadamente os valores que você gastaria com hospedagem, alimentação, passeio e transporte no local de escolha. Além disso, você também pode estipular um valor que está disposta a gastar e o próprio site lhe indica o melhor destino que cabe no seu orçamento.

É importante também pesquisar sobre clima, lugares violentos, horários de funcionamento dos locais, transporte, pontos turísticos, seguro de vida… e lembrar de colocar tudo na planilha.

É mais barato viajar pela agência ou montar seu próprio roteiro?

Agência tem comodidade, mas se você pretende viver a essência do lugar, minha opinião é montar seu próprio roteiro. Eu gosto de me sentir nativa do lugar, pego ônibus, vou andando, alugo bicicleta, como a comida mais barata. Porém, dependendo do roteiro, viajar pela agência pode trazer algumas vantagens. Normalmente essas empresas têm um privilégio com as companhias e isso facilita muito sua vida.

Onde ficar quando não se dispõe de tantos recursos financeiros?

Existem duas maneiras de hospedagem que eu considero as mais baratas: Couchsurfing e Hostel.

Couchsurfing é uma rede de pessoas que disponibiliza cama, sofá, colchão ou o que tiver, para receber os viajantes em suas casas. Normalmente o visitante não paga pela hospedagem e ainda tem a oportunidade de conhecer a rotina da casa, os costumes da família, a gastronomia local e o idioma.

A outra forma é Hostel, diferente do Couchsurfing, nesse ambiente é preciso pagar uma taxa, mas costuma ser bem baratinha. Normalmente são casas coletivas com cerca de três, quatro ou até 12 quartos, que podem ser masculinos, femininos ou até mistos. O legal é que a gente faz amizade com pessoas do mundo inteiro, ou seja, hostel é a Disneyland dos mochileiros.

Os principais destinos nacionais e internacionais que você indica?

Normalmente você consegue viajar gastando pouco aqui mesmo pela América do Sul, como: Peru, Bolívia, Chile, Argentina, Uruguai, Paraguai, Colômbia, Venezuela… Além de serem países próximos ao nosso, eles dispõem de um turismo incrível. No momento, a Tailândia está sendo a queridinha da galera, isso porque com a moeda desvalorizada, o poder de compra subiu muuuuuuito. Na Europa, França, Reino Unido, Itália e Espanha são os clássicos e, consequentemente, os mais caros. Mas também existem os destinos Europeus mais em conta, como: Holanda, República Tcheca e países mais ao norte.

No Brasil, a rota do nordeste é maravilhosa, vale a pena conhecer locais como: Salvador, Fortaleza, Recife, São Luiz, Maceió, Natal, João Pessoa, Aracaju, Recife, Porto de Galinhas e Jericoacoara.

Os mecanismos estão aí, na Internet e com um pouquinho de paciência e muito planejamento fica fácil viajar sem precisar comprometer o orçamento do mês.

Comentários

comments