Autoconhecimento

Coragem de Ser Imperfeito. Você tem?

Você se cobra demais? Você sempre acha que poderia ter feito melhor? É difícil, para você, lidar com as frustrações? Se você respondeu SIM a essas perguntas, então te aconselho a ler “A Coragem de Ser Imperfeito” da Brené Brown.

Eu nunca fui do tipo perfeccionista, ou detalhista, mas confesso que sempre tentei corresponder às expectativas alheias, sobretudo no campo profissional. Sempre me dedicava e buscava dar o melhor de mim nas tarefas que precisava executar e isso, geralmente, rendia resultados dos quais me orgulhava .

Mas houve um tempo em que eu não estava legal comigo mesma e não dava esse melhor, consequentemente, os resultados não eram bons. Isso me incomodava demais. Eu me sentia super incompetente e ficava triste, estressada, agoniada. O que não ajudava em nada porque eu só me cobrava e adoecia. Se naquela época eu já tivesse lido Brené Brown, teria me acolhido e aquela fase tão difícil, provavelmente, teria sido bem menos pesada.

Em suas 206 páginas, “A Coragem de Ser Imperfeito” (Editora Sextante) nos coloca no colo. Coisa que a gente não costuma ter muito na vida adulta. Estamos acostumados a ser julgados, comparados, cobrados e isso não nos deixa à vontade para aceitar ou admitir a nossa vulnerabilidade. Mas aí vem Brené e diz: “tudo bem você não ser perfeito. Tudo bem você fracassar. Tudo bem você não ser bom nisso. Tá tudo bem!”. Então a gente descobre que acolher nossa imperfeição nos liberta!

E aí a gente começa a avaliar o quanto é leve viver com ousadia, encontrando o bem-estar verdadeiro, livrando-se da “vergonha de não dar certo”. Ela orienta, inclusive, que você conte para as pessoas sobre seus planos, suas metas. Sei que muita gente pode discordar, achando que o “olho gordo” de outras pessoas vai atrapalhar seus sonhos. Mas, já parou para analisar que, talvez, quem mais atrapalhe seus sonhos seja você mesmo, por não ter a coragem de lutar por eles? Talvez seja mais fácil culpar “as energias negativas” do outro, do que admitir que você não focou nos seus objetivos…

Para quem é mãe, o capítulo 7 do livro é um verdadeiro sacolejo na alma. A gente, que costuma se culpar tanto, se cobrar tanto, pode até admitir algum percalço nas outras áreas da vida, mas com os filhos?! Não! Para nossos filhos, queremos estar no mais alto nível possível, bem próximo da perfeição. Isso faz com que a gente se frustre um bocado e “enlouqueça” um bocado também. Mas agora reflita: você quer que seu filho seja um adulto que se cobra tanto? Um adulto cheio de culpas e medos? Brené Brown escreve:

A questão não é tanto “Você está educando seus filhos da maneira certa?” mas, sim “Você é o adulto que deseja que seus filhos se tornem um dia?”.

Puxado, né?! Porém, necessário. Fruto de uma pesquisa de 12 anos sobre a imperfeição humana, o livro nos aponta caminhos mais leves para lidar com as 12 áreas da vergonha: aparência e imagem corporal, dinheiro e trabalho, maternidade/paternidade, família, criação de filhos, saúde física e mental, vícios, sexo, velhice, religião, traumas e estigmas ou rótulos.

Ao ler “A Coragem de Ser Imperfeito” temos a maravilhosa chance de olhar para nós mesmos e para o mundo à nossa volta com mais amor e a compreensão de que não somos fracos ao admitir nossas falhas, não precisamos fugir das nossas emoções, não precisamos vestir a capa da invencibilidade. Precisamos, apenas, ter a coragem de viver com plenitude, cultivando a autenticidade, a autocompaixão, a intuição, enfim, a nossa humanidade.

Comentários

comments