Homem com a Palavra

Muito além da lata do leite ninho…

Nos idos do final dos anos oitenta, o circo ainda era uma grande distração, principalmente, nas pequenas e médias cidades. Todos queriam ver o leão, o elefante, a zebra, às vezes, até girafa, as crianças e adultos adoravam, e os enamorados? Sobre estes, desdobraremos o “causo” a seguir.

Em uma oportunidade dessas, Chico e Val, que já namoravam há algum tempo, viam a ida ao circo que chegava à cidade, como uma oportunidade de ficarem juntinhos, já que a pentelha da Ritinha, a irmã, guardiã da honra da namorada, estava muito mais atenta à mulher barbada e ao globo da morte do que à sua missão propriamente dita. Eis que surge no picadeiro, o palhaço, e em meio às suas palhaçadas, convida algumas pessoas da plateia para subir ali. Nesse momento, qualquer desatento torna-se vítima, foi o caso de Chico, que encontrava-se como sua atenção voltada a outra atração. Pego no susto, fica sem graça e, numa tentativa de tirar todos os olhares que se encontravam em sua direção, simplesmente aceita, descer até o centro do picadeiro.

O palhaço Repolho pergunta:

– O distraído tem nome?

Chico responde:

– Tenho sim.

– E como é seu nome distraído?

– É Chico.

– Você veio fazer o que aqui Chico?

– Vim assistir.

– Ô Chico, e por que seus olhos estavam em outra direção, hein, hein?  Menininho sabidinho!

O povo ri e Chico fica vermelho de vergonha, e o palhaço Repolho continua:

-Vocês viram para onde Chico estava olhando?

– Eu não vou nem dizer, que ele estava olhando na direção daquela menina linda.

De imediato Repolho grita de lá:

– Menina linda, como é seu nome?

Ela responde:

– É Val.

– Val, você é o que dele?

Ela responde baixinho:

– Namorada.

– O quê? Fale mais alto.

Ela diz:

– Namorada.

Repolho chama Val ao picadeiro.

– Val como você é linda! Eu pensei até que fosse cega, para namorar um cabra feio desses.  A plateia em gargalhadas…

– Vou cantar uma música para vocês:

Essas meninas de hoje só pensam em namorar.

Namorar é muito bom, o importante é casar.

Casa hoje com um belo rapazinho

E amanhã ele tá vendo o preço do leite ninho.

Leite Ninho, leite ninho, leite ninho, leite ninho. (2x)

Viva eu que sou casado, menino já apareceu.

E eu falei pros meus amigos que o culpado não fui eu.

Foi a muié que veio naquele jeitinho.

E agora eu tô marchando na lata do leite ninho

Todos riram muito, o circo foi embora e só ficaram as lembranças.

Nos colocando na posição de Chico, essa canção do Palhaço Repolho, nos leva a refletir:

Será que quando estamos em uma relação, pensamos nos passos futuros?

 

 

Muitas vezes, nos preocupamos em quê iremos nos formar, onde iremos trabalhar, que tipo de carro queremos ter. Contudo, muitas vezes não planejamos o que queremos para nosso futuro, quando se trata de relacionamento. Se você não fez a escolha de viver só é importante conversar, fazer planos.

A escolha de casar ou ficar solteiro é uma decisão individual, porém, se você está namorando é preciso que isso fique claro para o seu par. Não ter filhos, é uma decisão em conjunto, com revisões constantes, pois o mundo muda, as pessoas mudam, as opiniões também.

Ter filhos? Acredito que essa é a questão mais difícil a ser respondida. A decisão da paternidade e maternidade, é uma reflexão que vai muito além do leite Ninho, valores, quantidades… São perguntas e respostas que terão um preço a ser pago pela vida inteira. Para alguns, poucos trocados, para outros, uma dívida impagável.

A responsabilidade de ser Pai (e ser pai de meninas) não se confunde com o relacionamento marido e mulher, dos enamorados… Não se restringe a momentos felizes e nem somente ao final de semana. Não é ser apenas o provedor, o parceiro, o amigo, o companheiro investido na função de pai. É ser o modelo da maquiagem (evitem fotos, pode ser comprometedor no futuro) e modelo para a vida, é ser a plateia do Youtube ao vivo, é ajudar na lição de casa, é estar pronto para fazer cara feia com o “Piva”, que vai chegar cheio de má intenção lhe chamando de tio, é ser o Uber do “sobrinho”, é ser protetor, guardião, super-homem. É ser Pai, na pura essência da palavra.

Com tantas responsabilidades, parece ser mais fácil se preocupar apenas com o leite Ninho mas, sem dúvidas, a felicidade do exercício  diário de ser Pai, é indescritível.

Comentários

comments